A verdadeira história de Rapunzel

A verdadeira história de Rapunzel

Todo conhecem o conto de fadas da Rapunzel, que, resumidamente, é a história de uma menina que foi trancada no alto de uma torre por uma bruxa e que o principe escalou pelos seus cabelos para salvá-la. 

Mas, a real história não foi tão "bonita" assim. A primeira versão dessa história remonta ao ano de 1600, escrita por Giambattista Basile, da Itália. Nessa versão, Rapunzel é dada a um ogro quando bebê, tudo porque sua mãe roubou salsa de um jardim, e como punição, ela teria que dar seu primeiro filho. 

Nos siga no Facebook 

Também tem a versão sombria do Irmãos Grimm, do ano de 1857, onde Rapunzel é seduzida pelo príncipe e acaba ficando grávida de gêmeos. O príncipe acaba ficando cego e vaga sem rumo pela floresta. Depois de atravessar o inferno e voltar, eles finalmente se encontram novamente.

Mas, a história original que deu vida à esses contos é a mais sombria de todas. Em vez de uma bruxa má trancar uma garota bonita em uma torre, o sequestrador era o pai de uma garota, que controlava tanto a vida de sua filha que a levou à morte.

No ano de 1275 dC, um homem chamado Jacobus de Voragine registrou a história de uma jovem chamada Barbara que morava na Itália. Ela era uma garota bonita e seu pai, Dioscorus, era um comerciante rico e poderoso. Sua filha, muito bonita, já tinha alguns pretendentes e muitos deles eram até príncipes. Dioscorus estabeleceu uma regra de que os homens não poderiam encontrá-la, a menos que passassem por um processo de entrevista com ele primeiro.

Curta nosso Instagram

Isso deixou Barbara irritada, e ela discutiu com ele, dizendo que tinha livre arbítrio e queria escolher o homem com quem se casaria. Quando ele tentava dar a ela opções de homens que considerava bons pretendentes, ela recusava todos e recusava-se a cooperar. Como sua filha estava sendo rebelde, ele acreditava que a solução era esconder Barbara em uma torre alta, onde ela nunca tinha permissão para sair. Dessa forma, ela nem teria a opção de desobedecê-lo e se apaixonar por um homem enquanto ele estivesse viajando à trabalho.

Como o pai de Barbara estava ocupado viajando e trabalhando como comerciante, ele contratou pessoas da cidade para construir a torre e entregar comida e suprimentos para ela. Ela abaixou uma cesta na lateral da torre e eles colocaram as mercadorias que ela precisava dentro. Um dia, alguém deixou para ela um livro que explicava o que era o cristianismo. Na época, o cristianismo era o culto religioso que os romanos estavam tentando impedir de assumir o controle.

Quando os homens vinham fazer reformas na torre, os homens sentiam pena dela e a deixavam descer para falar com eles. Enquanto trabalhavam na torre, Barbara pediu que fizessem três janelas, em vez de duas. Essas janelas representavam o Pai, Filho e Espírito Santo. Eles tentaram dizer "não", porque sabiam que isso deixaria Dioscorus zangado, mas a bela Barbara de alguma forma os convenceu a fazê-lo. Enquanto andava pelos jardins, ela começou a destruir os ídolos pagãos de seu pai, porque a Bíblia dizia que eles eram um pecado.  

Dioscorus finalmente voltou para casa de sua jornada, ele esperava que seu plano de proteger sua filha do mundo exterior tivesse terminado sem problemas. Em vez disso, ele viu que Barbara havia subido da torre e destruído todas as suas coisas, e ela se juntou a uma religião ilegal. Ele estava absolutamente furioso. Na época, praticar o cristianismo era um crime punível com tortura e morte. 

Embora Barbara fosse filha dele, Dioscorus a entregou às autoridades. Nunca saberemos se ele realmente era tão cruel e cruel, ou se ele não teve outra escolha a não ser obedecer à lei e entregá-la. Ele a agarrou pelos cabelos longos e a arrastou para as cortes romanas. Quando o juiz lhe perguntou sobre seus crimes, ela gritou que só respondia ao seu Senhor Jesus Cristo. Ficou claro que ela era culpada de ser cristã e evidente que não importava o que seu pai fizesse para tentar controlá-la, ela não iria parar de lutar por seu livre arbítrio. As pessoas começaram a torturá-la. Eles cortaram a pele dela com facas e jogaram sal nas feridas. Eles também queimaram sua pele. Quando ela finalmente estava fraca e quase morreu, Dioscorus cortou a cabeça da filha com uma espada.

Após sua morte, Barbara tornou-se mártir na Igreja Ortodoxa Oriental e foi canonizada como santa.

Fonte: historycollection

Se inscreva no nosso canal no Youtube!!

E não deixe de participar do grupo do Mago no Facebook

 

 

 Por Juliana Hembecker Hubert