Curitiba Geek City 2019

Curitiba Geek City 2019

Em mais uma edição, a equipe Zheit marcou presença na Geek City, o maior evento de cultura pop e tecnológico do sul do país. Foram três dias de muitos jogos, entrevistas, cosplays e muitos geeks.

Primeiramente, a Equipe da Zheit não conseguiu a credencial de imprensa para cobrir o evento. Mas, como somos consumidores da cultura pop e geek, compramos nossos passaportes na bilheteria da Geek City, que este ano estava no Shopping Estação. O valor do passaporte para os três dias de evento, era de R$ 300,00 a inteira, mas era super fácil conseguir o voucher no site da Geek City ou apresentar qualquer ticket de compra do Shopping, para poder pagar meia entrada. Muito boa esses vouchers de meia entrada e vale destacar que o serviço da bilheteria foi muito melhor que do ano passado, que era realizado pelo Disk Ingressos. 

 

Na sexta-feira, nossa equipe chegou às 16h00min no centro de exposição Renault, no Parque Barigui. O acesso para o passaporte estava muito bem organizada e foi super rápido! Em menos de 10 minutos já estávamos com nossas credenciais colecionáveis, que este ano tinha o Ivar, e já estávamos dentro do evento.

 

Ao entrar, assim como no ano passado, do lado direito tinha a Arena de Games, que já estava rolando partidas de CS.

Também, logo na entrada, tinha dois simuladores de corrida. Como a fila estava pequena (algo em torno de uns 30/40 minutos) já resolvemos ficar por alí mesmo para poder experimentar o simulador. E valeu muito a pena! O simulador da Need4Racing é muito legal. Realmente te dá a sensação de estar pilotando um carro de corrida na pista de Interlagos, e para quem é fã de corridas, com certeza vai querer ter um desses em casa!

 

Vale destacar que estava presente o piloto de StockCar Light, o Gustavo Frigotto, que estava auxiliando nos simuladores e deu algumas dicas de como pilotar.

O Sanderson também foi super atencioso com a nossa Equipe! 

 

Neste ano a Xbox, assim como ano passado, trouxe bastante consoles para o pessoal jogar. Mas, ainda com jogos um pouco ultrapassados. É legal jogar Forza, Minecraft, Fifa....mas queremos novidades, jogos que foram lançados recentemente e estamos com dúvidas se compramos ou não. Acredito que ali é um ótimo lugar para testar os jogos mais recentes. 

No stand da PlayStation, acabamos ficando um pouco decepcionados. O stand tinha poucos consoles e foi praticamente impossível jogar, uma vez que tinha longas filas. Na edição de 2018, a PlayStation trouxe um container, onde tinham poucos consoles também, mas, de certa forma, o tempo para jogar era meio determinado. Assim todos conseguiam jogar, e vale dizer que no final da experiência, era distribuído um adesivo da PlayStation. (Sim! Gostamos de mimos!).

Outro Stand muito legal foi o da Fox Premium, que estava todo viking. Tinha um camarim de pintura, para você se transformar em um legítimo viking e também tinha um cenário muito legal com um barco viking para tirar fotos. No stand tinha um fotógrafo, que depois esta foto era enviada por e-mail, e também era permitido tirar fotos com o celular. Resultado: um book viking! Ah! Tudo isso era de graça!

 

 

 

Os stands de lojinhas achamos um pouco fraco com relação ao ano passado. Para quem é colecionador de FunkoPop, tinha alguns modelos, mas nada de muito diferente.

Também tinha stands de patrocinadores...

 Outra coisa muuuuito legal é a divulgação dos filmes de Terror. Tinha o stand do Boneco do Mal 2 (espero que ele não puxe meu pé de noite).....

.....e também tinha distribuição da famosa bexiga vermelha do Pennywise (They float, Georgie....), o filme do It 2 que estreou dia 05 de setembro. 

Também, não podemos de deixar de dar um grande destaque para a exposição de 80 anos do Batman, realizada pelo pessoal de Floripa da Turma do Batman. Tinha muuuuita coisa legal do Batman!!! Vale destacar que a Turma do Batman é de voluntários que fazem o bem em hospitais, creches, asilos... Siga eles no Facebook - @TurmaDoBatman

 

Veja um pouco da exposilção e da Geek City no vídeo:

 

Bom, agora vamos para as atrações principais deste ano. O primeiro painel que assistimos foi com Paul Zaloon, o Beakman, que rolou às 19h20min. Paul Zaloon começou sua carreira no Teatro Bread and Puppet, mas foi com o Mundo de Beakman que este alcançou o sucesso. O programa teve sua primeira exibição em 18 de setembro de 1992, sendo um exibido em 90 países. No Brasil, a série foi transmistida pela Tv Cultura entre os anos de 1994 e 2002. Uma curiosidade sobre Paul Zaloom é que ele não é cientista. Ele estudou na escola preparatória “Choate School”, em Connecticut, e começou sua carreira artística no Goddard College, em Vermont. Além de ator, ele é manipulador de marionetes, cineasta, ventríloquo e satirista político.

Voltando a Geek City, a entrevista com Paul Zaloom foi muito agradável, mas com um único problema: as legendas que estavam disponíveis no telão estavam na parte de baixo, dificultando a leitura – destaque que este problema foi corrigido depois.

Posteriormente, às 20h20min, teve o pessoal do Hermes e Renato, a lenda da MTV, que foi ao ar em 2000 a 2009, e teve uma segunda fase do programa exibida em 2013. A entrevista foi bacana, mas eu esperava algo mais engraçado...foi algo...ok.

 

Após a entrevista, o humorista Adriano Silva, que interpreta o Joselito, apareceu para tirar fotos e atender alguns fãs ao lado do palco.

 

No segundo dia (sábado), teve a sessão de fotos e autógrafos com o o Beakman e Alex Hogh Andersen, o Ivar dos Vikings. Há alguns pontos a serem ponderados na sessão de fotos. Primeiro foi a organização das filas. Não tinha isolamento para as pessoas que pagaram o valor de R$ 150,00, ou seja, quando os atores apareceram, foi uma aglomeração geral, e isso piorou quando o Alex apareceu para a sessão de fotos.

Um segundo ponto foi o horário das fotos. Estava marcado que iria começar as 15h. Ok, começou as 15h, mas somente para quem tinha comprado as fotos com o Beakman. O pessoal que iria tirar foto com o Alex, que era nosso caso, teve que esperar terminar a sessão de fotos com o Beakman, para aí sim, iniciar a segunda sessão de fotos. Poxa produção! Tinha três stands para fotos. Não fazia sentido esperar terminar uma sessão para começar a outra, sendo que já haviam duas filas distintas. Ou, se fosse o caso de ser usado somente um stand para fotos, que estipulasse horários diversos.

Também temos que destacar outro ponto negativo. Todos sabemos que os artistas tem contratos, horários, mas a rapidez que as fotos foram tiradas bateram record. Mal deu tempo de dizer “Oi, como você está?”, que já tinha pessoal falando para ir rápido, e toda aquela pressão. Isso não foi legal! Eu não quero ficar horas conversando com o ator, mas, poxa, pelo menos trocar algumas poucas palavras..não custa!!!! Também, o pessoal da foto poderia ser mais educado. Mais um ponto negativo da experiência das fotos foi o depois....tinha fila para deixar seu e-mail. Sim, a foto foi enviada por e-mail. E não vou negar que deu uma certa desconfiança....e se o e-mail não chegasse? E se a foto fosse enviada errada? Mas no fim, deu tudo certo. 

*Enquanto estávamos na fila para fotos, estava rolando o painel com o dublador Guilherme Briggs. Não consegui ver todo o painel, mas o pouco que vi, estava bem legal! No final do painel, o Briggs atendeu os fãs para fotos e autógrafos. 

Depois de fila...aglomeração...foto...e mais fila, as 18h o Alex subiu ao Main Stage para falar sobre a série. A entrevista foi muito legal, o Bruno Micali conduziu muito bem a conversa (assim como todas da Geek City). Como a entrevista foi toda em inglês, também tinha a legenda no telão, que estava com um delay, algo que ás vezes acabava atrapalhando, pois quem não entende muito o inglês, as vezes ficava um pouco perdido.

Alex contou sobre a série, sem dar spoilers e contou sobre sua paixão pela fotografia, algo que ele faz quando não está atuando. Ele também comentou que gosta de prestar atenção e aprender sobre câmeras, luzes, devido à sua experiência como ator. 

                     

 

 

AH! Na Geek City teve o teaser inédito da 6ª e última temporada de Vikings com exclusividade.

 

 

Ás 19h10min teve uma conversa com o Garcia Jr, um dos ícones da dublagem brasileira. Nesse painel não ficamos muito, pois a equipe estava exausta de fila...e mais fila.

No domingo, terceiro e último dia de evento (aaaahh...), a nossa equipe chegou as 15h e o centro de exposições já estava cheio. Fomos até a Main Stage, onde, às 16h teve uma entrevista com James O'Barr, o criador do O Corvo, que conversou sobre sua obra, seus desenhos. Em 1978, James se alistou nos fuzileiros navais, e enquanto ele estava na Alemanha, acabou ilustrando manuais de combate para os militares. Porém, antes de se alistar, a noiva de James havia sido morta por um motorista bêbado, o que resultou na criação de sua obra prima “The Crow”, como uma forma de lidar com seu luto. Nos quadrinhos, um homem e sua noiva são assassinados por uma gangue de criminosos, e o homem acaba retornando da morte, guiado por um corvo, para se vingar de seus assassinos. Os quadrinhos venderam mais de 750 mil cópias no mundo, depois de ficar sem editora por sete anos.  Em 1994, O Corvo foi adaptado para os cinemas, que acabou com a morte trágica de Brandon Lee durante as filmagens. O filme acabou resultando em três sequencias e mais uma série.

 

Após a entrevista, James estava em sua mesa vendendo e autografando os desenhos do “O Corvo”. Pena que não tinha tantas pessoas interessadas nos seus desenhos. Mas, como fã, fui tirar uma foto com ele e garantir meu desenho!

   

 

 

 

17h30min... o auge do dia...fãs inquietas...era a entrevista do Alex, que iria responder as perguntas feitas pelos fãs. A entrevista foi muito legal, o Alex é super simpático, mas tem gente que perde a noção quando vê algum artista. 

     

 

   

 

Veja a entrevista completa aqui:

Depois do Alex, tivemos uma aula de ciência com ninguém menos que o Beakman. O show foi muito legal, com bastante interação com a plateia. Mas, assim como do Alex, tinha muita gente sem noção que empurrava para tirar fotos, ficava em pé na frente das pessoas...enfim, algo que tem a ver com a educação de cada um. 

 

 

Não podemos deixar de destacar os cosplays que estavam circulando pela Geek City durante os três dias! Era um mais legal que o outro! Ah! No final de cada dia tinha o concurso de cosplay...é muito legal de assistir!

  

Enfim, esse foi o resumo da nossa experiência dos três dias de cobertura da Geek City. Tem alguns detalhes que ainda precisam ser ajustados, mas no geral, é um evento muito legal, que você não percebe a hora passar, onde você tem muita diversão, conhecimento e a experiência de conhecer atores e personagens que marcaram a sua vida.  

Geek City, até ano que vem!

#MenotaGeekCity

Por Juliana Hembecker Hubert e Murilo Hubert Schenfeld