Polska Walcząca

Polska Walcząca

09/09/2021 10:00

Nos primeiros meses de 1942, o Gabinete de Informação e Propaganda anuncia um concurso para um signo da organização. De um total de 27 projetos, foi selecionada a proposta de Anna Smoleńska.

Anna Smoleńska, foi a criadora do símbolo Polska Walcząca. O símbolo desenhado em forma de âncora, onde o P que simboliza a Polônia e as armas com a letra W, que simboliza a luta, tem um significado de esperança para recuperar a independência da Polônia ocupada pela Alemanha. Esse símbolo foi amplamente utilizado durante a Segunda Guerra Mundial, sendo que a escolha deste símbolo foi influenciada pela legibilidade e pelo fato de poder ser feito muito rapidamente.

 

O emblema do  Polska Walcząca (Combate à Polônia) deveria aparecer em lugares claramente visíveis tanto para poloneses quanto para alemães. A âncora foi colocada nas paredes de Varsóvia pela primeira vez em 20 de março de 1942 por membros da organização Wawer. 

Depois de ser adotado pela resistência polonesa, o sinal começou a aparecer em locais públicos em desafio aos alemães. Depois de um ano, o símbolo ficou firmemente estabelecido como a marca registrada do Exército da Pátria.

Anna Smoleńska, durante a ocupação alemã, estudou na Escola Municipal de Horticultura e Agricultura, onde, sob o pretexto de lecionar no nível secundário, realizou estudos acadêmicos na Universidade de Ciências da Vida de Varsóvia. Ao mesmo tempo, ela fez um curso de comunicação conspiratória. Em Szary Szeregi, junto com um grupo de escoteiras, ela participou ativamente da organização clandestina de uma pequena sabotagem chamada Wawer. Ela tinha o pseudônimo de Hania.

Desde o início de 1942, ela foi uma ligação no Atual Departamento de Propaganda do Escritório de Informação e Propaganda do Quartel General da União de Luta Armada - Exército da Pátria.

Em 3 de novembro de 1942, os alemães prenderam Smoleńska junto com seus pais Eugenia e Kazimierz, sua irmã Janina, seu irmão Stanisław e sua esposa Danuta. Todos foram colocados na prisão de Pawiak. Em 27 de novembro, os alemães transportaram 53 mulheres de lá para Auschwitz. Entre elas estava Anna, sua mãe, irmã e cunhada. Seu irmão também foi enviado ao acampamento naquele dia.

Nenhuma das mulheres Smoleńska sobreviveu a Auschwitz. Os alemães emitiram um atestado de óbito para Anna Smoleńska em 30 de março de 1943. A data da morte que eles forneceram foi 19 de março e como a razão pela qual entraram na "pneumonia", embora a verdadeira causa de sua morte tenha sido tifo.

Os alemães mudaram o irmão de Anna de Auschwitz para Gross-Rosen e um mês depois para Sachsenhausen, sendo que ele foi o único sobrevivente de toda a família. Depois da guerra voltou para a capital, onde começou a trabalhar na Rádio Polaca. Ele morreu em Varsóvia em 24 de janeiro de 1986.

Fontes: historyextra, BBC, thefirstnews,prawo,  dzieje, pap, polskieradio, kultura.gazetaprawna

Por Juliana Hembecker Hubert 

Não esqueça de curtir nossas páginas no Facebook e no Instagram e nosso canal do Youtube                                      

Também temos dois grupos de discussão sobre as Guerras no Facebook. Se você tem algum post, foto, vídeo, curiosidades sobre as Guerras, não deixe de compartilhar conosco!! Grupo GuerrasGrupo II Guerra e Grupo da FEB.