Tornister

Tornister

06/09/2021 10:00

A palavra Tornister (mochila) teve sua origem na línguagem militar através da Bohemia e, a partir do século XVIII, começou a ser usada pelos alemães.

Com o fim dos exércitos mercenários do século XVII, a Europa começou a constituir os exércitos de cada país. Diante disso, acabou sendo criado um código de Guerra que ficou "válido" até o início da I Guerra Mundial, segundo o qual as guerras só deveriam ser travadas em campo aberto, sem envolver a população civil. O equipamento do soldado também foi diretamente afetado, tendo em vista que, anteriormente, como o exército era constitu[ido por mercenários estes acabavam saqueando os lugares por onde passavam em busca de alimentos. Com a criação dos exércitos, era necessário prover materiais como alimentos, fardas e munição. 

A Tornister, geralmente feita de couro, permaneceu praticamente até a II Guerra Mundial, mas houveram várias mudanças. 

No final de 1810, a faixa peitoral da Tornister foi introduzida na Prússia, uma inovação que tornou mais fácil carregar pesos. Desde a década de 1890, as mochilas têm sido cada vez mais equipadas com esta faixa. 

A mochila do exército alemão, fabricada aos milhões a partir de 1895, com a estrutura de madeira ou tecido revestida de tecido, que foi inteiramente feita de tecido de algodão cinza ("reed green") com um interior branco-linho durante a Primeira Guerra Mundial devido à falta de couro, só desapareceu com a reestruturação do Reichswehr e da Wehrmacht no início dos anos 1930. A mochila M1895 era forrada de couro bovino, as partes de couro eram marrom natural.

Antes da guerra, o modelo M1895 era marrom claro, com bordas em couro bege, e a frente e as costas eram cobertas por pele de bezerro ou cavalo. Durante a guerra, como a demanda superou a capacidade de produção, a construção em todas as telas e a incorporação de materiais Ersatz substituíram a pele e o couro. A estrutura era de madeira e forrada com lona impermeável. Além do corpo da mochila principal, a aba da mochila continha um compartimento para guardar roupas e dois compartimentos para guardar cartuchos de rifle. Em cima havia uma sacola de lona contendo acessórios para barracas.

Cada soldado do exército tinha uma mochila para seu equipamento e quase não havia sacos de pele. As tropas de montanha e, em grande parte, as tropas motorizadas tinham a mochila realmente muito mais prática com um bolso com tampa e dois ou três bolsos externos em vez da mochila. A mochila continha:


- 1 conjunto de roupa, meias
- toalha, lenços
- colete ou camisola
- 1 par de sapatos 
- kit de lavagem, kit de costura
- kit de limpeza para botas, escova de roupa


O casaco enrolado, a tenda lençol ou cobertor poderiam ser amarrados em volta da caixa da mochila.

O saco de roupa suja consistia em um saco de tecido retangular (cerca de 60 x 60 cm) com uma aba. Roupas íntimas sobressalentes e a roupa de treinamento deveriam ser carregadas como um segundo uniforme.

Visualmente, a mochila M34, que foi introduzida em novembro de 1934, mudou pouco na aparência, embora a estrutura de madeira volumosa agora tenha sido omitida, os painéis laterais eram feitos de tecido e os utensílios de cozinha, que eram pintados de oliva cinza, não podia mais ser preso ao dorso de pele de bezerro com dobradiças. A panela agora tem seu lugar ao lado do cantil e da lona no saco de pão. 

A qualidade das mochilas alemãs mudou com o avanço da Segunda Guerra Mundial e a escassez de suprimentos. Enquanto no final da década de 1930 a maioria das peças de metal utilizadas ainda eram feitas de alumínio, esse metal logo deu lugar às versões de ferro pintado. Além disso, mochilas parcialmente rebitadas em vez de costuradas apareceram na segunda metade da guerra e as partes de pele foram parcialmente remendadas com estoques mais antigos ou casacos femininos. 

Mesmo com o tecido usado por dentro, tudo o que o respectivo fabricante tinha disponível era usado com frequência. Pode ser declarado que a mochila perdeu seu papel de peça de equipamento constantemente presente para o soldado alemão, o mais tardar na Segunda Guerra Mundial. 

Nos anos de necessidade após o fim da Segunda Guerra Mundial, as mochilas da Wehrmacht, que estavam disponíveis em grande número, continuaram a ser utilizadas pela população como meio prático de transporte. 

 

Fontes: aargauerzeitung, ir63.org, fotocommunity, spiegel, lexikon-der-wehrmacht.de

Por Juliana Hembecker Hubert 

Não esqueça de curtir nossas páginas no Facebook e no Instagram e nosso canal do Youtube                                      

Também temos dois grupos de discussão sobre as Guerras no Facebook. Se você tem algum post, foto, vídeo, curiosidades sobre as Guerras, não deixe de compartilhar conosco!! Grupo GuerrasGrupo II Guerra e Grupo da FEB